skip to Main Content
Cuidados com a saúde são essenciais para fortalecer a imunidade

Cuidados com a saúde são essenciais para fortalecer a imunidade

Que atire a primeira pedra quem nunca bebeu um copo de suco de laranja ou uma cápsula de vitamina C efervescente no meio da água gelada pra se sentir potencialmente imunizado contra todas as gripes do mundo, ou quem teve certeza de que ficou resfriado só porque pisou no chão gelado com o pé descalço depois do banho, durante alguns segundos. Embora as duas situações possam ter uma relação com a ocorrência de algumas reações do corpo, elas não são as únicas responsáveis por melhorar ou atrapalhar nossa imunidade.

Mas, afinal, o que é esse negócio que a gente chama de imunidade, que ora aumenta, ora diminui, mas que todo mundo anda procurando nos dias de hoje? Nossa imunidade é o nosso soldado e nosso vigia, já que é a parte do nosso corpo que vive atenta e, ao mesmo tempo, pronta pra lutar.

Por definição, é a capacidade do nosso organismo de se defender de substâncias consideradas estranhas. Quando detecta um invasor, o organismo se prepara para inativá-lo e, assim, colocar ordem no funcionamento do corpo de novo. Pra que isso aconteça, o organismo usa mecanismos que atuam em conjunto, como uma engrenagem. Os sistemas corporais se complementam e, quanto mais bem preparados e equipados, maiores as chances de combater as infecções e nos manter em equilíbrio.

O que determina essa preparação – boa ou ruim – são nossos hábitos de vida. E, assim como a vida passa por mudanças, também mudam nossas rotinas de cuidados com a saúde.

Com o avanço da industrialização e uma mudança importante no sistema agroalimentar do mundo após a Segunda Guerra Mundial, passamos a consumir alimentos (ultra)processados, ricos em açúcar, sal e gorduras. Hoje, precisamos cuidar do excesso desse consumo. Com rotinas cada vez mais apertadas, temos dormido menos, feito menos exercícios físicos e “descansado” a mente com atividades ainda mais estimulantes. Temos ficamos mais estressados, irritados e ansiosos. Temos ficado, muitas vezes, mais doentes.

Mas como tudo o que é hábito pode (e deve!) ser mudado, eis a luz no fim do túnel: pequenas escolhas no dia a dia podem fortalecer nosso sistema imunológico e nos deixar muito mais saudáveis:

Alimentação – Priorize os alimentos “de verdade”, in natura. Aquela velha escolha sem segredo: arroz com feijão, grãos, cereais integrais, legumes, verduras e frutas. Esses alimentos fornecem energia, carboidratos, proteínas e boas gorduras, além de muitas vitaminas e minerais, todos indispensáveis para uma saúde de qualidade.

Além da variedade no prato, que incontestavelmente supre a pluralidade de nossas necessidades, alguns alimentos, fontes de vitaminas A, B6, C, D e E e minerais como ferro, zinco, selênio e magnésio, tornam-se itens-chave no combate às infecções devido às suas grandes propriedades antiinflamatórias e antioxidantes. Essas substâncias podem ser encontradas principalmente em vegetais verde-escuros, castanhas do Pará, nozes, sementes de girassol e de abóbora, frutas cítricas como abacaxi, laranja e limão, frutas vermelhas, goiaba, gengibre, alho, cúrcuma e própolis. Vale a pena inseri-los na rotina alimentar, mas sempre lembrando da individualidade. Tenha o suporte de um profissional da área para orientações personalizadas.

Água – Consumir água em quantidade e qualidade adequadas é extremamente necessário. O corpo humano é composto de 70 a 80% dessa substância que participa de todos os processos metabólicos que acontecem no nosso organismo. A desidratação causa prejuízos significativos no combate às infecções. Lembre-se de escolher a água no lugar de bebidas açucaradas e industrializadas. (Regrinha rápida para calcular a necessidade de água por dia: multiplique seu peso por 35ml).

Exercícios físicos – A prática de exercícios físicos fornece inúmeros benefícios para o sistema cardiovascular, respiratório, dá fortalecimento e resistência muscular, melhora a autoestima, auxilia na regulação do intestino, diminui o estresse e ajuda na estabilidade emocional, atuando diretamente na melhora de todas as atividades do dia-a-dia, além de ajudar diretamente no sistema de defesa do corpo. Quando praticados regularmente, os exercícios de intensidade moderada facilitam a atuação imunológica aumentando nossa resistência contra infecções.

*Importante: considerando o cenário pandêmico, escolha exercícios que possam ser realizados dentro de casa, em ambientes sem aglomerações ou em espaços seguros e permitidos. E tenha sempre o apoio de um profissional da área para auxiliar na forma adequada de realizá-los.

Sol – A vitamina D, que é, na verdade, um hormônio, pode ser adquirida de duas formas: por meio da dieta (20%), com o consumo alguns peixes gordurosos, cogumelos secos e óleo de fígado, por exemplo; e por meio da produção do nosso próprio corpo, através da exposição à radiação ultravioleta B. A vitamina D tem se mostrado uma substância importante na regulação e atuação de várias células do sistema imunológico, atuando positivamente no combate às infecções agudas e também autoimunes e, por isso, a exposição solar, dentro de todas as recomendações médicas, é um hábito tão importante.

Sono – A relação é direta: a privação do sono reduz a produção de células de defesa, deixando-nos mais vulneráveis a possíveis infecções. Dormir de 7 a 8 horas por dia é essencial para que o corpo consiga recarregar nosso sistema imunológico, metabolizar radicais livres para manter o equilíbrio homeostático do organismo e ainda melhora os níveis de estresse, memória, produtividade, foco e controle emocional.

O nosso corpo depende da nossa imunidade. E nossa imunidade depende de muitos fatores. Sem radicalismos podemos melhorar nossos hábitos, construir uma defesa forte e melhorar nossa vida. Mudam-se os tempos, as situações, os sonhos e as vontades, mas o nosso corpo sempre fica. Já dizia Jim Rohn: “Cuide do seu corpo. Ele é o único lugar que você tem para viver”. Que possamos, então, cuidar da nossa “morada” com prioridade, amor e consciência, por meio das nossas pequenas escolhas, todos os dias.

Por Camila Peternella Veltrini
Nutricionista do Colégio Platão

 

Compartilhe:

Colégio Platão

Fundado em 1985, o Colégio Platão, por meio da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, transformou-se em referência na educação para crianças e jovens de Maringá e região. Nestes 30 anos, o Platão tem ensinado milhares de estudantes e ajudado a formar milhares de cidadãos.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Abrir o chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?